Resenha: A garota no trem - Paula Hawkins

Livro: A garota no trem
Autora: Paula Hawkins
N° de páginas: 378
Gênero: Thriller
Editora: Record
Onde comprar: Amazon, Saraiva, Submarino



“Todas as manhãs, Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d'água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes a quem chama de Jess e Jason , Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess na verdade Megan está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.”






                O livro é narrado pela protagonista Rachel, que é uma alcoólatra, que perdeu o seu emprego e todos os dias tenta se reinventar e deixar para trás todo o seu passado feliz, porém onde viveu em um relacionamento conturbado com um marido infiel que a trocou por Anna (que também narra parte da história). Seus dias são todos iguais, ela entra em um trem às 8h04 e vai até Londres, fingindo para a amiga com quem divide o apartamento que está indo trabalhar. 
               Nessas suas idas e vindas todos os dias de Londres, onde ela só bebe mais e mais, o trem sempre para no mesmo lugar, onde ela sempre observa as casas de número 23 (sua antiga casa) e de número 15, onde moram Jess e Jason que parecem ter uma vida perfeita. Um dia ela descobre que Jess, que na verdade se chama Megan, (que também narra algumas partes da trama) desapareceu sem deixar pistas. Então ela se sente na obrigação de descobrir o que aconteceu com Megan, pelo fato de no dia anterior tê-la presenciado beijando outra pessoa que não era Jason, que se chama Scott. 
               Ela acaba descobrindo muitas coisas sobre si mesma que não teria descoberto, pois nos momentos que ela não está sóbria, ela tem apagões, onde não se lembra do que aconteceu e sente uma culpa enorme. 
                Os acontecimentos vão se encaixando uns nos outros e a trama tem um final que ninguém nunca esperava, e eu fiquei de queixo caído. Mas irei deixar pra vocês descobrirem sozinhos quando finalmente lerem o livro. 


Minha opinião sobre o livro: 

"Peculiar". Acho que eu descreveria o livro assim! Gostei do livro de uma forma diferente, acho que foi meio que um gostar e um não gostar ao mesmo tempo ! Não sei dizer, por isso a palavra peculiar. 
Desde quando lançaram o filme do livro eu já fiquei bastante ansiosa pra ler e depois ver o filme, acontece que eu sou o tipo de pessoa bastante enrolada que nunca faz as coisas exatamente como planejado.
Há muito tempo eu tinha vontade de ler o livro, mas nunca lembrava de comprar logo. Quando recebi ele da @myhappyhaven_ eu queria logo ler pra matar a curiosidade de como o livro era. Então acabei passando ele na frente de muitos outros. 
Não posso dizer que eu achei o melhor livro do mundo, por que não é. O livro fica muito tempo  batendo na mesma tecla... Quando desenrola, acaba sendo uma coisa inesperada, acho que isso que mais gostei no livro (gosto do inesperado). 

(Pequeno Spoiler) Muitas coisas como a protagonista Rachel não ter ficado com Scott no final, me decepcionaram, eu queria pedir uma continuação por causa desse detalhe, só não poderia por que ainda ficariam batendo naquela mesma tecla, sem história pra contar... O livro finalizou um pouco no ar, me deixou com muitos questionamentos, mas eu gostei do desenrolar da situação no final de uma forma, digo novamente, peculiar.



Espero que tenham gostado! Comentem e sigam o blog pra dar aquela força. Um beijo enorme.


Assine a Newsletter para receber as novas publicações. 

Siga e favorite o blog!

Me siga nas redes sociais:
Colen Hoover

Resenha: Novembro 9 - Collen Hoover

Livro: Novembro 9
Autora: Collen Hoover
Editora: Galera Record
N° de Páginas: 352
Onde comprar: Amazon, Americanas



Sinopse:  Autora número 1 da lista do New York Times retorna com uma história de amor inesquecível entre um aspirante a escritor e sua musa improvável.


Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos?




Eu já tinha lido muitas resenhas falando que as histórias da Collen Hoover eram de ficar de cabelo em pé... Literalmente...E que seus livros sempre traziam um certo drama familiar que acabam nos chamando atenção, e eu adquiri uma certa curiosidade pelos livros dela, não só por Novembro 9 mas alguns outros que eu ainda não tive oportunidade de ler.. Mas que sim estão na minha listinha. Eu li inúmeras resenhas de Novembro 9 antes de comprá-lo e eu não encontrei nenhuma que tivesse alguma opinião negativa sobre o livro. Você deve estar se perguntando o por que de eu ter escolhido ele primeiro, eu sinceramente não sei, mas a capa dele me chamou mais atenção do que a dos outros. 
No início quando comecei a ler eu achei que seria um livro lento, estilo "Um dia" (que nem li, mas tive muita preguiça do filme), mas o livro mudou totalmente minha opinião, principalmente quando cheguei no fim do primeiro 9 de novembro, e eu fiquei MUITO ansiosa e curiosa pra saber o que acontecia no segundo. E creio eu que isso não aconteceu somente comigo, rsrs. O que eu poderia falar do livro, resumindo em uma palavra ... Bem, não tem uma palavra... ele é tudo de bom! Óbvio que fiquei com raiva do livro e da Collen em várias partes do livro, como sempre acontece, mas eu suspirei bem mais vezes e juro que se eu pudesse eu entrava no livro, não me ache louca, não sou só eu que tenho essas vontades, eu sei disso, rsrs. Estou muito ansiosa pelo próximo livro que vou ler da Collen, creio eu que será "Talvez um Dia" ou "Um caso Perdido", confesso que estou na dúvida de qual ler primeiro!

                     
                  Fallon é uma ex atriz famosa, que por culpa de um acidente, teve boa parte do seu corpo queimado e foi obrigada a deixar de fazer o que mais gostava, atuar. 
                9 de Novembro é o dia mais triste de sua vida, e como se não bastasse ser o culpado pelo acidente, seu pai nem sequer se lembra do dia e não tem nem um pouco de compaixão.
                 Dois anos depois, ela decide que mudar para Noa York é o melhor a se fazer, seguindo carreira em teatros, se tudo desse certo. O que ela não esperava era que fosse conhecer Ben, um garoto que entrou em sua vida da forma mais inesperada possível. 
                O livro também narrado por Ben, um jovem escritor, que por curiosidade, acaba ouvindo a conversa de Fallon e seu pai no restaurante. Ele não gosta nem um pouco de como o pai trata a filha, como se ela fosse uma pessoa qualquer, não tem um pingo de amor e só sabe falar de sua carreira, isso acaba incomodando Ben a ponto de ele interferir na conversa dos dois, se passando por namorado de Fallon. 
                A partir daí, os dois decidem se encontrar em todos os dias 9 de Novembro por 5 anos, nem um outro dia, sem nenhum outro tipo de contato, somente dia 9, por 5 anos, para que assim Ben possa escrever seu primeiro romance. 
               O que eles não esperavam, é que fossem descobrir tantas coisas que tinham em comum, que eles nunca puderam imaginar, coisas que podem acabar causando um triste final nesse romance de Benton James Kessler. 


               O que pode ser tão ruim para duas pessoas que só se encontram em um dia do ano? Isso vou deixar para você descobrir, e eu lhe garanto que você irá se surpreender, assim como eu fui surpreendida.



Assine a Newsletter para receber as novas publicações. 

Siga e favorite o blog!

Me siga nas redes sociais: